Oração

À primeira vista, a oração é, em princípio, um argumento oral para implorar por uma causa, ou uma certa situação crítica. Mas pode tomar outra forma quando é endereçada a Deus. Existem formas prescritas de oração que podemos encontrar no livro de salmos ou outros, eles são valiosos porque eles podem nos ajudar a ter uma ideia sobre o caráter e as línguas usadas por aqueles que nos precederam na fé em Deus. Assim, a oração deve ser acima de tudo uma conversa ou diálogo entre o homem e seu criador, nosso Deus. É um diálogo íntimo, uma relação secreta com Deus, é uma cumplicidade entre o Pai e seu Filho. Os discípulos, querendo saber rezar, perguntaram a Jesus Cristo que lhes deu ensinamentos sobre oração como podemos ler em:

Mateus 6:5 Quando você rezar, não seja como os hipócritas, que gostam de orar em pé em sinagogas e nas esquinas, para serem vistos pelos homens. Estou dizendo a verdade, eles estão recebendo a recompensa. Mas quando você rezar, entrar em seu quarto, fechar sua porta, e rezar para seu Pai que está lá no lugar secreto; e seu Pai, que vê em segredo, vai devolvê-lo a você.

Este belo ensinamento de Jesus Cristo nos mostra claramente que a oração é acima de tudo um diálogo privado entre Deus aqui chamado (Pai) e o filho de Deus. Que deve ser feito em privacidade em um lugar oculto. É verdade que o Pai Celestial gosta do que seus filhos podem expressar com suas próprias bocas o que seria em seus próprios corações. Embora nossa Deus saiba tudo, ele quer que confessásmos com nossa própria boca o que seria em nossos próprios corações. Então é assim que você deve rezar:

(Mathieu 6: 9) Nosso Pai no céu. Que seu nome seja santificado, que seu reinado venha, que sua vontade seja feita na terra como no céu. Dê-nos hoje nosso pão diário, perdoe-nos nossas transgressões, como nós também perdoamos aqueles que nos ofenderam, não nos induz em tentação, mas nos livra do mal. Pois é para você que o reinado, o poder e a glória pertencem a você em todos os séculos. Amém.

O novo título que Jesus Cristo nos ensina é o de "Nosso Pai", enquanto desde o início em nenhum momento Deus permitiu que o Senhor dos exércitos o chamasse de "Pai". O próprio Moisés, que é apresentado como um dos maiores servos de Deus, nunca designou Deus como Pai. Leitura no livro hebraico no capítulo 3 e do versículo 5 a 6

Para Moisés, ele foi fiel por toda a casa de Deus, como servo, para testemunhar o que deveria ser anunciado, mas Cristo é fiel como Filho em sua casa e sua casa somos nós, desde que mantenhamos até o fim a firme confiança e esperança que glorificamos.

Duas vezes, isto é, durante o batismo de Jesus Cristo, e durante sua transfiguração na montanha, Deus nosso Pai se refere a Cristo como "Seu Amado Filho". Jesus Cristo, por sua vez, nos chama de "Seus Irmãos", como podemos ler abaixo:

Hebreus 2:11 Para aqueles que santificam e aqueles que são santificados são todos de um. É por isso que ele não tem vergonha de chamá-los de irmãos.

A coisa mais importante para nós é saber que, como todos aqueles que aceitaram a palavra do evangelho de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, temos livre acesso para abordar nosso "Pai" Deus Todo-Poderoso. A palavra confirma isso cada vez mais claramente no mesmo livro dos hebreus, capítulo 4 versículo 16:

Então vamos nos aproximar do trono da graça com confiança, a fim de obter misericórdia e encontrar graça, para ser resgatado em nossas necessidades.

O texto continua designando o lugar onde nosso Pai está, enquanto nos observa sobre o lugar onde estamos "Nosso Pai que está no céu". Em outras palavras, Deus está alto e estamos em baixo. É por isso que a seguinte frase diz que "o nome de Deus, (Pai) é santificado". Isso é óbvio e para entender isso podemos ver e ler no livro de: Ezequiel 36:23.

Vou santificar meu grande nome, que foi profanado entre as nações, que você profanou entre eles. E as nações saberão que eu sou o Senhor, o Senhor, o Senhor, quando eu for santificado por você diante de seus olhos.

É óbvio que nosso Pai provou mais do que seu amor por nós, tomando forma humana para nos visitar aqui, enquanto carrega nossa condenação que o leva a morrer na cruz. Que graça para os eleitos de Deus. O livro dos salmos nos fala neste texto:

Salmos 32:2 Abençoado é o homem a quem o Senhor não imputar iniquidade, e em cujo espírito não há fraude.

Não podemos concluir nada além de: nosso Pai (Deus) merece, adora, louvor e honra como o Deus Criador. Vamos ler no livro do apocalipse:

Apocalipse 4:11 Você é digno, nosso Senhor e nosso Deus, para receber glória, honra e poder; pois você criou todas as coisas, e é através de sua vontade que elas existem e foram criadas.

Na frase que se segue lemos: "Que seu reinado venha; " e por esta palavra convidamos a autoridade de nosso Pai sobre nós, o Deus Todo-Poderoso. Quaisquer que sejam as circunstâncias que nos ocorram, nosso Pai mantém seu lugar de Deus em nossos corações. É também nossa força, nossa garantia, nossa salvação, nossa vitória, diante de todos os obstáculos de nossas vidas. O Livro do Apocalipse capítulo 12 e versículo 10 a 11 nos diz:

E ouvi no céu uma voz alta que dizia: Agora a salvação chegou, e o poder, e o reinado de nosso Deus, e a autoridade de Seu Cristo; pois ele foi apressado, o acusador de nossos irmãos, aquele que os acusou diante de nosso Deus dia e noite. Eles o derrotaram por causa do sangue do cordeiro e por causa da palavra de seu testemunho, e eles não amaram suas vidas a ponto de temer a morte.

Esta palavra nos ensina sobre o segredo do sucesso. Como podemos ver, o sangue do amado Filho de Jesus nos purificau de todas as contaminações e, além disso, em resposta a este sacrifício, nossa adoração razoável seria confiar-nos a Deus como sacrifícios vivos por Deus, nosso Pai. O livro de 2 Coríntios fala claramente conosco no capítulo 5 e versículo 14:

Pois o amor de Cristo nos instiga, porque acreditamos que se apenas um morreu por todos, então todos estão mortos; 15 anos e que ele morreu por todos, para que aqueles que vivem não vivam mais por si mesmos, mas por aquele que morreu e se levantou para eles.

A oração continua: "Que sua vontade seja feita na terra como no céu." Lembramo-nos da oração de nosso Senhor Jesus Cristo no jardim "Lucas 22:42" dizendo:

Pai, se você quisesse tirar essa xícara de mim! No entanto, que minha vontade não seja feita, mas a sua.

Entendemos que podemos ter sugestões, mas colocando tudo nas mãos do Senhor porque ele tem a última palavra. Nosso dever é adicionar a todos que dizem "Se Deus quiser" Amém. O resto da oração que nos ensina sobre perdão foi desenvolvida no texto da justiça de Deus. Agradecemos sua atenção e leitura deste texto e rezamos para que a graça de Deus nos acompanhe a todos, Amém.